Nossa História

 

A Fogos Caruaru, fundada em 1994, é uma empresa tradicional no ramo de pirotecnia desde 1996, ano em que se deu o início de suas atividades fabris, especificamente no dia 08 de janeiro. Contando com a cooperação de funcionários treinados e capacitados para o trabalho pirotécnico, que atuam de forma integrada, para implementar seu escopo de fornecimento.

Trabalho e dedicação nortearam a busca do ideal empresarial, que por sua vez embasaram a realização do sonho de constituir e construir a empresa.
Em destaque no Brasil e Mercosul, a sua participação de mercado progride a cada ano, sendo isso um reflexo direto dos investimentos em pesquisa, qualidade, segurança e inovação dos produtos e preocupação com o meio ambiente.
Pioneira na fabricação de inúmeros produtos, a Fogos Caruaru, lançou o Rajadão 19x1 e o Rajadão 19x4, ambos sucessos de vendas. E, ainda, conta com uma grande variedade de produtos de estampidos e coloridos, todos em belas embalagens, modernas e seguras.
A Indústria está instalada no município de Santo Antônio do Monte - MG e imprime sua marca de qualidade, impulsionando seu crescimento e adquirindo cada vez mais reconhecimento.


NOSSA MISSÃO

Desenvolver e produzir artigos pirotécnicos visando às necessidades do mercado, prezando o bom atendimento, qualidade e segurança; para satisfazer os clientes e consumidores, abrilhantando suas comemorações, num misto de criatividade, engenhosidade, sons, cores e luzes.


NOSSA VISÃO

Ser reconhecida no mercado de artigos pirotécnicos coloridos e estampidos, com alta qualidade, visando à liderança e competitividade mercadológica, tornando-se, por conseqüência, uma referência.


HISTÓRIA DOS FOGOS DE ARTIFÍCIOS

A história da pirotecnia provavelmente iniciou-se na Ásia, já na Pré-História. Mas, seguramente, podemos afirmar que a pólvora foi fabricada pela primeira vez, por acaso, na China há cerca de 2000 anos. A pólvora foi empregada como projéteis explosivos em armas elementares de bambu e de ferro, semelhantes a flechas, desde o ano de 1304. Para fins pacíficos, ela somente começou a ser utilizada nos fins do século XVII em minerações e construção de estradas. O "fogo químico" foi o único explosivo utilizado até o século XIX, quando surgiram a nitroglicerina e a dinamite. Já os chamados fogos de artifício datam de alguns milhares de anos antes de Cristo, isto é, em uma época muito anterior ao conhecimento da pólvora. Eles surgiram quando se descobriu que pedaços de bambus ainda verdes explodiam quando colocados em fogueira. Os ruídos resultantes assustaram inicialmente os chineses. No entanto, eles passaram a jogar caules verdes de bambus (pao chuck) em fogueiras durante festivais e comemorações com o objetivo de assustar maus espíritos. Mais de 2000 anos depois, foi observado que se bambus ocos fossem recheados com o já conhecido "fogo químico" e lançados ao fogo, o ruído resultante era muito maior. Eram os primeiros fogos de artifício a serem fabricados como conhecemos hoje. O conhecimento da pirotecnia era difundido na China e na Índia durante séculos antes de se estender até a Europa por meio dos árabes e gregos. A arte de construção de fogos de artifício foi muito desenvolvida na Arábia no século VII. Com o advento da química moderna e descoberta de suas leis, muitos elementos foram estudados, assim como suas reações. Hoje em dia, diversos efeitos visuais foram acrescidos aos fogos de artifício com a mistura de diferentes substâncias. Atualmente existem diversos tipos de fogos de artifício, e seus efeitos dependem da composição ou da estrutura da peça. Entretanto, todos são construídos com fundamento em um mesmo princípio: armazenar o máximo de energia em um mínimo espaço.


HISTÓRIA DE SANTO ANTÔNIO DO MONTE E SUA VOCAÇÃO PIROTÉCNICA

A região de Santo Antônio do Monte começou a ser povoada por volta de 1750 com o uso das terras situadas entre os rios Lambari e São Francisco para a agricultura. Mas a história do município, como de tantos outros pelo Brasil afora, tem início com um português, Elizeu, que arrematou uma sesmaria na Vila de São Bento do Tamanduá (atual Itapecerica) para implantar uma fazenda. Quando morreu, sua viúva mandou erguer uma capela no alto de um monte, sob a proteção de Santo Antônio, dando origem ao nome do município.
Em 1847, Santo Antônio do Monte tornou-se distrito de Itapecerica, sendo elevado à condição de vila em 1859. Em 1865, porém, divergências políticas acabam levando à revogação desta lei e Santo Antônio do Monte voltou à condição de distrito. Só em 1870 à atuação de políticos locais junto a deputados provinciais restaurou a Vila de Santo Antônio do Monte. A emancipação política e administrativa veio com a lei nº 2158, de 16/11/1875, que elevou a vila à categoria de município. 
A história da pirotecnia está intimamente ligada à história da região. Ela tem início com o povoamento da área onde se encontra, hoje, o município de Santo Antônio do Monte. Habitantes locais registraram que, por volta de 1859, os irmãos Joaquim Silva e Luiz Mezencio Silva (Luiz Macota) fabricavam, de forma artesanal, fogos e pólvora dentro de casa. Eles vendiam os produtos, transportando-os em carros-de-boi e carroças. 
A primeira indústria legalmente organizada surgiu muito depois, em 1945, impulsionando o comércio de fogos e a geração de empregos na região.

  • INSTAGRAM - FOGOS CARUARU
  • FACEBOOK - FOGOS CARUARU

Telefax: (37) 3281-2277                                           contato@fogoscaruaru.com.br                        Santo Antônio do Monte - MG  |  Brasil

© 2019 por Alisson Gontijo